1500 Estudantes Saíram a Rua Contra Cortes Orçamentais



Baixar 43,15 Kb.
Encontro06.07.2017
Tamanho43,15 Kb.

1500 ______ Estudantes Saíram a ___ Rua Contra ___Cortes Orçamentais
Por ÁLVARO VIEIRA
Quarta-feira, 06 de Novembro de 2002

___ manifestação em Coimbra

Em ___ protesto contra ___propinas e ___cortes orçamentais, houve também quem recuperasse ___ "slogans" antigos, tipo "___Paz, ___Saúde e ___ Habitação"

Onde se lê ___ "propinas", deve ler-se ___"cortes orçamentais". De ___ resto, ___ manifestação de ___ estudantes de ___ Universidade de ___ Coimbra (UC) que ontem a ___ tarde percorreu ___ cidade foi muito semelhante àquelas que, há cerca de dez anos, por ___ altura de ___ aprovação de ___ primeira lei de ___ financiamento de ___ ensino superior, se tornaram ___ imagem de ___ marca de ___ academia.



___ Associação Académica de ___Coimbra (AAC) conseguiu reunir perto de 1500 ___ estudantes e, mais difícil, logrou que ___ manifestação passasse por ___ demissão de ___ reitor da UC como por ___ vinha vindimada. ___ ministro de ___ Ciência e de ___ Ensino Superior, Pedro Lynce, e ___ proposta de ___ Orçamento para 2003 apresentada por ___ Governo foram ___ bombos de ___ festa de ___ estudantes que misturou ___ palavras de ordem relacionadas com ___ política educativa com ___ tradicional cântico de ___ apoio a ___ equipa de futebol da Académica, ___ punhos fechados com "holas" bem coreografadas.

___ manifestação arrancou uma hora mais tarde do que ___ previsto, ___tempo que ___ presidente de ___ AAC ocupou a recrutar mais gente em ___ faculdades distribuindo ___500 T-Shirts, em ___ quais ___ AAC imprimiu ___imagem truncada do filme "O Senhor dos Anéis", aqui reproduzida sobre ___ inscrição "O Senhor dos Cortes", com ___ rosto de Pedro Lynce.

___ outros estudantes apresentaram-se equipados com ___ cartazes, que protestavam contra ___ alegado (uvedené) desinvestimento de ___ Governo em ___ Educação, e ___ faixas. "Como podemos apertar ___ cinto se já andamos todos de tanga?", escreveram ___ da República Rap-ó-Taxo. Também houve quem recuperasse ___ "slogans" antigos, tipo "___Paz, ___Saúde e ___ Habitação", e quem apresentasse ___ reivindicações menos abrangentes, chamando ___ atenção para ___ aumento de ___ preços em ___ cantina.

___ Alunos não pedem ___ desculpas a ___ reitor

Por ___ várias vezes se viram ___ braços erguidos a sublinhar ___ promessa gritada de que "___ estudantes unidos jamais serão vencidos". A ___ frente de ___ turba, de ___ megafone em ___ punho, ___o presidente de ___ AAC propunha ___ rimas mais actuais: "___ bolsas sim, ___ cortes não"; "___ este Governo năo tem ___ Educaçăo"; "Se isto continua, ___ ministro para a rua", glosou.

Desta vez, ___ manifestação só acabou em ___ margem esquerda de ___ Mondego, junto a ___ Estádio Universitário, onde funciona, em ___ instalações desde sempre provisórias, a Faculdade de ___ Ciências, d___ Desporto e___Educação Física (FCDEF). Aqui, ___estudantes formaram ___círculo, em ___ interior do qual o presidente da AAC proferiu, com ___ resto de voz, ___ discurso que encerrou ___ protesto.

Acusou a Governo de pretender atribuir à UC ___orçamento que a impede de construir não só a FCDEF, mas também o Pólo III, para onde está prevista ___ construção de ___ novas faculdades de Medicina e Farmácia. Apelando a ___ comparência na assembleia magna que se iria realizar a ___ noite, para deliberar (votar) sobre ___ outras acções de ___ protesto, Victor Hugo Salgado reiterou (repetir, insistir) ainda que as verbas que o Governo se propõe atribuir a ___ UC chegam apenas para ___ pagamento de ___ salários, por ___ que ___ resto de ___ despesas de ___ funcionamento será suportado por ___ receita de ___ propinas. Que ___ estudantes voltam a prometer boicotar.



E a poucas horas de ___ assembleia magna que se terá realizado esta noite, ___ fonte de ___ AAC adiantava a ___ PÚBLICO que ___dirigentes académicos não iriam nem pedir ___desculpa, por considerarem nada ter feito para isso, nem pedir ___ demissão de ___ reitor de ___ UC, dado que Fernando Rebelo já apresentara ___pedido de exoneração (zproštění). Há 15 dias, na assembleia anterior, os estudantes aprovaram ___ moção de "repúdio" apresentada pela AAC, em que se acusava ___ reitor de oscilar em ___ discurso sobre ___ situação orçamental de ___ universidade, intimando-o a clarificar ___ posição sobre esta matéria. ___ reitor melindrou-se (dotknout se, urazit se) e pediu a exoneração. Mas, em ___ últimos dias, afirmou que ___ pedido de ___ desculpas de ___ estudantes o poderia fazer reconsiderar

CVIČENÍ NA URČITÝ, NEURČITÝ A NULOVÝ ČLEN






  1. ……….. meu amigo é ……….. economista.

  2. ……….. Rosa é ……….. gata muito simpática

  3. ……….. sua dona é agradável.

  4. Ele é ……….. de Lisboa.

  5. Nós somos ……….. checos.

  6. ……….. minha vizinha é jovem e bonita.

  7. Ela é ……….. professora de Brno.

  8. Eu não sou ……….. português, sou ……….. checo.

  9. Sou de ……….. Colónia.

  10. Ele é de ……….. Brasil.

  11. A dona de ……….. gata é economista.

  12. Os amigos estão ……….. casa.

  13. ……….. Roberto é de ……….. Rio de ……….. Janeiro.

  14. Agora está em ……….. República Checa.

  15. Eles são de ……….. América.

  16. Estou em ……….. cidade austríaca.

  17. É ……….. país muito bonito.

  18. É de ……….. Portugal.

  19. Todos estamos em ……….. aula.

  20. Nós moramos em ……….. Alemanha.

  21. O dono de ……….. casa é muito simpático.

  22. ……….. estudantes estão em ……….. bar.

  23. ……….. Eva está de ……….. volta.

  24. ……….. jantar está em ……….. mesa.

  25. ……….. professor está a falar com ……….. estudantes.

  26. E agora ……….. brinde a ……….. meus amigos.

  27. ……….. americanos gostam de ……….. cerveja.

  28. Para nós, checos, ……….. língua portuguesa não é nada fácil.

  29. Em ……….. sala há muitas coisas de ……….. Rui.

  30. ……….. meu amigo trabalho em ……….. empresa americana.

  31. ……….. Roberto é de ……….. Brasil.

  32. Ele mora em ……….. Rio de ……….. Janeiro.

  33. Tu és de ……….. Praga?

  34. Sou de ……….. Viena.

  35. Já está ……….. tudo ………..claro?

  1. ……….. todos gostam de ……….. Praga e de ……….. cerveja checa.

  2. Vou estar fora de ……….. casa ……….. toda ……….. semana.

  3. Você conhece ……….. todos ……….. nomes de ……….. estudantes, não é?

  4. ……….. gato fica a ……….. espera de ……….. seu dono ……….. todo ……….. dia.

  5. Ele dança ……….. tudo……….., até o samba.

  6. ……….. Júlia fala com ……….. suas amigas a ……….. tarde.

  7. Vais beber ……….. tudo………..?

  8. ……….. estudantes são bonitas.

  9. Estou cansada, já vou para ……….. casa.

  10. Amanhã temos que partir para ……….. Brasil.

  11. ……….. professor Klíma gosta de conversar com ……….. Júlia.

  12. ……….. gato já está a……….. espera em ……….. jardim.

  13. Agradeço ……….. teu convite.

  14. Muito obrigada por ……….. livro.

  15. ……….. estudantes vão ter ……….. exame de ……….. história.

  16. Tenho ……….. toda ……….. casa a ……….. disposição,

  17. Hoje vou ficar em ……….. casa.

  18. A Helena espera em ……….. café Slavia.

  19. Ele estuda em ……….Porto.

  20. Já vais a ……….. Faculdade?

  21. Vocês voltam para ……….. casa?

  22. Os lisboetas gostam de ……….. bica.

  23. O Vítor vai para ……….. Moçambique.

  24. O senhor já volta para ……….. hotel?

  25. ………..Helena é ……….. estudante checa.

  26. ……….. Portugal é ……….. país de ……….. Europa Ocidental.

  27. Em ……….. nosso país , ……….. Inverno é muito frio.

  28. ……….. Vítor é ……….. estudante.

  29. Já falamos ……….. português bastante bem.

  30. ……….. senhor gosta de estudar ……….. checo?

  31. Em ……….. mesa há ……….. disco.

  32. ……….. disco é de ……….. Ana.

  33. De ……….. Outubro até ……….. Maio, ……….. tempo em ……….. Lisboa é chuvoso.

  34. ……….. varanda de ……….. minha casa está cheia de ……….. flores.





1500 Estudantes Saíram à Rua Contra Os Cortes Orçamentais
Por ÁLVARO VIEIRA
Quarta-feira, 06 de Novembro de 2002

Manifestação em Coimbra

No protesto contra as propinas e os cortes orçamentais, houve também quem recuperasse "slogans" antigos, tipo "Paz, Saúde e Habitação"

Onde se lê "propinas", deve ler-se "cortes orçamentais". De resto, a manifestação de estudantes da Universidade de Coimbra (UC) que ontem à tarde percorreu a cidade foi muito semelhante àquelas que, há cerca de dez anos, por altura da aprovação da primeira lei do financiamento do ensino superior, se tornaram imagem de marca da academia.

A Associação Académica de Coimbra (AAC) conseguiu reunir perto de 1500 estudantes e, mais difícil, logrou que a manifestação passasse pela demissão do reitor da UC como por vinha vindimada. O ministro da Ciência e do Ensino Superior, Pedro Lynce, e a proposta de Orçamento para 2003 apresentada pelo Governo foram os bombos da festa dos estudantes que misturou palavras de ordem relacionadas com a política educativa com o tradicional cântico de apoio à equipa de futebol da Académica, punhos fechados com "holas" bem coreografadas.

A manifestação arrancou uma hora mais tarde do que o previsto, tempo que o presidente da AAC ocupou a recrutar mais gente nas faculdades distribuindo as 500 T-Shirts, nas quais a AAC imprimiu uma imagem truncada do filme "O Senhor dos Anéis", aqui reproduzida sobre a inscrição "O Senhor dos Cortes", com o rosto de Pedro Lynce.

Outros estudantes apresentaram-se equipados com cartazes, que protestavam contra o alegado desinvestimento do Governo na Educação, e faixas. "Como podemos apertar o cinto se já andamos todos de tanga?", escreveram os da República Rap-ó-Taxo. Também houve quem recuperasse "slogans" antigos, tipo "Paz, Saúde e Habitação", e quem apresentasse reivindicações menos abrangentes, chamando a atenção para o aumento dos preços na cantina.

Alunos não pedem desculpas ao reitor

Por várias vezes se viram braços erguidos a sublinhar a promessa gritada de que "Os estudantes unidos jamais serão vencidos". À frente da turba, de megafone em punho, o presidente da AAC propunha rimas mais actuais: "Bolsas sim, cortes não"; "Este Governo não tem Educação"; "Se isto continua, ministro para a rua", glosou.

Desta vez, a manifestação só acabou na margem esquerda do Mondego, junto ao Estádio Universitário, onde funciona, em instalações desde sempre provisórias, a Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física (FCDEF). Aqui, os estudantes formaram um círculo, no interior do qual o presidente da AAC proferiu, com um resto de voz, o discurso que encerrou o protesto.



Acusou a Governo de pretender atribuir à UC um orçamento que a impede de construir não só a FCDEF, mas também o Pólo III, para onde está prevista a construção das novas faculdades de Medicina e Farmácia. Apelando à comparência na assembleia magna que se iria realizar à noite, para deliberar sobre outras acções de protesto, Victor Hugo Salgado reiterou ainda que as verbas que o Governo se propõe atribuir à UC chegam apenas para o pagamento de salários, pelo que o resto das despesas de funcionamento será suportado pela receita das propinas. Que os estudantes voltam a prometer boicotar.

E a poucas horas da assembleia magna que se terá realizado esta noite, fonte da AAC adiantava ao PÚBLICO que os dirigentes académicos não iriam nem pedir desculpa, por considerarem nada ter feito para isso, nem pedir a demissão do reitor da UC, dado que Fernando Rebelo já apresentara um pedido de exoneração. Há 15 dias, na assembleia anterior, os estudantes aprovaram uma moção de "repúdio" apresentada pela AAC, em que se acusava o reitor de oscilar no discurso sobre a situação orçamental da universidade, intimando-o a clarificar a posição sobre esta matéria. O reitor melindrou-se e pediu a exoneração. Mas, nos últimos dias, afirmou que um pedido de desculpas dos estudantes o poderia fazer reconsiderar



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal