1022 m ordomia cristã elias e a viúva de sarepta



Baixar 32,21 Kb.
Encontro21.05.2017
Tamanho32,21 Kb.


1022

M ORDOMIA CRISTÃ


ELIAS E A VIÚVA DE SAREPTA

Pr. Álvaro Martinho da Silva

Texto Bíblico: 1 Reis 17: 1- 16
I - Introdução
Elias, profeta de Deus, foi orientado por Ele para comparecer diante do rei Acabe levando a mensagem do Senhor para todo o povo de Israel. A mensagem que Elias tinha para levar não era uma mensagem agradável; pelo contrário era uma palavra frustrante.

Falta de chuva durante alguns anos para o povo da Palestina significava miséria, pobreza, desgraça, morte, sofrimento para toda a nação.

Muitas famílias teriam fome, muitas crianças ficariam órfãs, muitas mulheres viúvas; a região toda precisava de chuva para a agricultura.

A Palavra do Senhor que deveria ser de alento, ânimo, esperança, bênção para toda a nação, veio como uma palavra dura, pessimista, antipática. A Palavra do Senhor nem sempre é uma palavra agradável que “restaura a alma”. “Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca”. “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos” (Sal. 119).

A Palavra do Senhor é também “viva e eficaz, mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hebreus 4: 12).

“Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2Tim. 3: 16).
II - Parte
O rei Acabe deve ter ficado muito furioso com Elias que, possivelmente deve ter desejado matar o profeta. Neste ínterim, o Senhor, providencialmente interveio para preservar a vida do Seu profeta: “Retira-te daqui, vai para a banda do Oriente e esconde-te junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão.” (v. 3)

Deus, também tem providenciado em nosso favor evitando que males maiores nos sobrevenham.

O Senhor é quem “livra do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Caem mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não tens sido atingido. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos” (Salmo 91).

“É certo que não dormita nem dorme o guarda de Israel. O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre” (Sal. 121).

Refugiado próximo ao Jordão, Deus providenciou novamente a Elias o que ele precisava: “Os corvos lhe traziam pela manhã pão e carne, como também pão e carne ao anoitecer; e bebia da torrente.” (v. 6)

Deus tem “mil maneiras de providenciar em nosso favor, maneiras que nada sabemos.” O fato relevante não deve ser as aves do céu trazendo alimento para o profeta, mas que Elias tinha alimento enquanto toda a nação de Israel tinha fome e sede devido à seca anunciada.

Deus tem providenciado o alimento para seus filhos desde o período mais remoto: Durante 40 anos, no deserto, pão caiu do céu todas as manhãs alimentando as famílias. Através de cinco pães e dois peixinhos alimentou toda uma multidão de cerca de vinte mil pessoas.



“O seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas” (Isa. 33: 16). “Jamais vi um justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão” (Sal. 37: 25).

“Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?” (Mateus 6: 26).

Pode ser que você não tenha aquilo que gostaria de dar à sua família: Um prato de comida mais elaborado, uma torta, lasanha, sobremesa especial, etc.

Mas, tem com certeza aquilo que a sua família precisa, pois Deus nem sempre dá o que queremos, porém sempre aquilo que precisamos.

Elias depois de vários dias comendo “pão e carne”, talvez desejasse algo diferente, mas ao lembrar que todo o povo de Israel não tinha sequer pão e água; comia com muito gosto! Deus não dá sempre o que queremos, mas com certeza, sempre o que precisamos!


III - Parte
Depois de algum tempo, a Palavra do Senhor veio novamente ao profeta dizendo: “Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora-te ali, onde ordenei a uma mulher viúva que te dê comida.” (v.9)

Palavra estranha, esquisita, incompreensível. A Palavra do Senhor, num primeiro momento, parece estranha ao coração do homem!

Sarepta era uma pequena cidade, inexpressiva, situada numa região idólatra. Criam na direção dos astros sobre a vida dos seres humanos; não criam no mesmo Deus que Elias cria.

Agora, a Palavra do Senhor orienta o profeta a buscar alimento nesta cidade. Elias poderia discutir com Deus dado às impossibilidades de conseguir ajuda numa região como esta.

Pior: buscar ajuda na casa de uma viúva pobre? Se ao menos fosse na casa de uma família rica, mas na casa de viúva pobre?!? Loucura!!!

A Palavra de Deus não é para ser discutida, sim para ser obedecida, mesmo que pareça loucura ao olhos do homem. Você mesmo, quando veio para a Igreja Adventista algumas coisas pareciam estranhas: Sétimo dia é dia de descanso?! O que tem haver religião com comida?! Devolver dízimo?!



“O justo viverá pela fé” (Gál. 3: 11). Fé na Palavra do Senhor, mesmo que pareça estranha, absurda, loucura ao coração do homem.

Parecia loucura construir um grande barco, quando nunca havia chovido sobre a terra; parecia loucura viajar, pelo deserto, com a multidão do povo de Israel, sem fazer nenhuma provisão para isto!


IV - Parte
“Então, ele se levantou e se foi a Sarepta...” (v.10) Felizmente, este verso faz parte da história bíblica, pois registra a resposta do homem à Palavra do Senhor.

Muitos, têm boa vontade em obedecer a Palavra do Senhor, mas são vacilantes, preocupados com o futuro, racionais em exagero, não admitindo a possibilidade da fé.

Outros, em semanas de oração, tomam decisões das mais sérias: fazer ano bíblico, batismo, abandonar pecados acariciados, estudar a Lição da Escola Sabatina diariamente, etc. Mas, desanimam com o passar do tempo, não conseguem cumprir com os compromissos espirituais.

“Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade.” Filipenses 2: 13

“...chegando à porta da cidade, estava ali uma mulher viúva apanhando lenha...” (v.10)

Quando o homem decide obedecer a Palavra do Senhor, seja ela qual for, surjam as conseqüências que forem; Deus ajuda na resposta do crente fiel, prepara o caminho pelo qual percorreremos.

Deus motivou uma mulher viúva da cidade de Sarepta para buscar lenha seca num ponto da cidade que não era muito comum ter lenha seca para o fogo.

Mas, Deus sabia que por aquele caminho passaria o profeta Elias e que iria ver uma mulher apanhando lenha à porta da cidade.

Quantas vezes, Deus tem feito também o mesmo com cada um de nós! Acontecem coincidências, situações inesperadas, que por inúmeras vezes atribuímos à sorte.

Deus sempre está provendo para cada um de nós, preparando o caminho que será percorrido, ministrando de maneira singular.

Emprego com o sábado livre, exames na faculdade que serão feitos em outro dia letivo, namorado(a) que professa a mesma fé cristã, etc.

Precisamos, apenas crer que Deus está trabalhando para o nosso benefício e, que mais cedo, ou mais tarde, as coisas acontecerão segundo o Seu plano.

Se o profeta estivesse obstinado em fazer a sua vontade, ou em obedecer apenas parcialmente a Palavra do Senhor; ele passaria pela porta da cidade e não veria a mulher viúva apanhando lenha, pois seu propósito poderia ser procurar um hotel, restaurante, pensão, ou lanchonete na cidade.
V - Parte
Ao ver a mulher, o profeta Elias pede água, que já era um artigo racionado devido a seca na região. Ela entende que não pode negar água para um viajante, porque significava atrair maldição.

Quando volta para buscar água, o profeta pede pão para comer, pois tem muita fome.



“Porém, ela respondeu; Tão certo como vive o Senhor, teu Deus, nada tenho cozido; há somente um punhado de farinha numa panela e um pouco de azeite numa botija; e, vês aqui, apanhei dois cavacos e vou preparar esse resto de comida para mim e para meu filho; comê-lo-emos e morreremos.” (v. 12)

Esta resposta o profeta Elias não esperava, pois tudo até aquele momento vinha dando certo na vida dele.

Deus protegeu quando Acabe ficou furioso com a mensagem de falta de chuva; alimento e água fresca quando toda a nação de Israel passava fome e sede; as aves do céu providenciando o pão de cada dia; uma mulher viúva apanhando lenha à porta da cidade de Sarepta.

Quando pede o pão que Deus havia prometido, a mulher nega com uma razão humanitária bastante forte e compreensível.

Neste momento, alguns de nós desanimaríamos na fé; revoltados contra Deus; retorno à velha vida de pecado; arrependimento pelo dia do batismo.

A vida cristã não é uma apólice de seguro contra problemas. Alguns, se revoltam contra Deus porcausa dos problemas e dificuldades na vida cristã. Mas, Deus não prometeu uma vida sem problemas, sim Sua companhia.



“Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” Mateus 28: 20

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo.” Salmo 23 : 4

“Neste mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci.” João 16: 33

Elias estava diante de uma situação extrema de fé: crer, ou não crer na Palavra do Senhor!



“Não temas; vai e faze o que disseste; mas primeiro faze dele para mim... depois, farás para ti mesma e para teu filho.” (v. 13)

Palavra absurda, estranha, principalmente por causa da justificativa apresentada pela mulher. O profeta continua insistindo com o pão primeiro para ele.

Assim é com a Palavra de Deus; acima de tudo que possa existir contrário, ela se sobrepõe a todas as circunstâncias, culturas e épocas.

Que fazer quando o separar o dízimo provoca falta de dinheiro para saldar outros compromissos durante o mês: mensalidade escolar, alimentação, aluguel da residência, etc.???

Que fazer quando a guarda do sábado pode desencadear o desemprego, ou a perda do ano letivo na faculdade??? Que fazer quando o batismo na Igreja Adventista pode causar atrito na família, descontentamento do esposo, perseguição dos pais, ou ainda, a perda de amigos???

A Palavra do Senhor é uma só: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro... provai-me nisto, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.” (Mal. 3: 10)



“Lembra-te do dia de sábado para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas, o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus, não farás nenhum trabalho.” (Êxo. 20: 8- 10)

“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a Mim não é digno de Mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a Mim não é digno de Mim”(Mat. 10: 37)
VI - Conclusão
“Foi ela e fez segundo a palavra de Elias; assim, comeram ele, ela e a sua casa muitos dias.”(v. 15) Aquele último pedaço de pão que, na palavra da mulher, não daria nem para ela e o filho naquele dia comerem; ao ser consagrado ao Senhor, em obediência à Sua palavra, deu para ela, o filho e o profeta, “por muitos dias.”

Quando confiamos no Senhor, as bênçãos ocorrem, sempre em medida muito maior. “A farinha não se acabou na panela, nem o azeite na botija faltou, até o dia que o Senhor fez chover novamente sobre a terra.” (vs.16, 14)

Imaginemos o que teria acontecido com aquela mulher se houvesse negado pão ao profeta: sua história não faria parte do cenário bíblico e, não teria sobrevivido ao período de seca.

Deus colocou o profeta Elias no caminho da viúva de Sarepta para ser ele uma bênção à vida desta pobre mulher e seu único filho. Coitada dela se não tivesse confiado na Palavra do Senhor por intermédio de Elias!

Com o profeta Elias, Deus não falharia, teria providenciado qualquer outra mulher viúva da cidade de Sarepta para alimentá-lo, conforme a Sua palavra, pois a Palavra do Senhor não falha!!!

A Palavra do Senhor é favorável também para cada um de nós, basta confiar nela e observar o que está escrito, mesmo que em alguns momentos pareça absurdo, estranho, esquisito.


AMÉM


www.4tons.com

Pr. Marcelo Augusto de Carvalho




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal