1; Vicente de P. R. da Silva



Baixar 1,89 Mb.
Página1/7
Encontro01.07.2018
Tamanho1,89 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7

EVAPOTRANSPIRAÇÃO EM FLORESTA TROPICAL ÚMIDA DE TERRA-FIRME. ANÁLISES DOS FLUXOS DE SEIVA EM Eschweilera Coriacea (Matá-matá) SOB DOIS REGIMES HÍDRICOS NO EXPERIMENTO ESECAFLOR/LBA EM CAXIUANÃ, PARÁ, BRASIL.
Rafael FERREIRA da COSTA1; Vicente de P. R. da SILVA1; Patrick MEIR2; Antonio C. Lôla da COSTA3; Yadvinder S. MALHI2 e John GRACE2.
RESUMO.
O estudo foi realizado como parte do Experimento de Grande escala da Biosfera-atmosfera da Amazônia (LBA) o sítio experimental do LBA está localizado na Estação Cientifica Ferreira Pena (ECFPn), 33.000 hectares, pertencente ao Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) dentro da Floresta Nacional de Caxiuanã, Pará (1o 42’ 30’’ S; 51o 31’45’’ W; 62 m alt.), distante cerca de 400 km a oeste de Belém. A floresta tropical é fonte natural de CO2 para atmosfera e também funciona com sorvedouro deste gás usado nos processos fisiológicos. As espécies mais abundantes na floresta de terra-firme são: Eschweilera coriacea, Voucapoua americana e Protium pallidum. São apresentados alguns resultados dos Fluxos de Seiva (FS) para os períodos de 03 a 16 de dezembro de 2000 e de 12 a 25 de janeiro de 2003 e determinada a evapotranspiração dos exemplares de Eschweilera coriacea (Mata-matá). Para as medidas de FS foi utilizado o sistema Sap flow meter P4.1 (IEF/Universidade de Agricultura, Brno, República Checa) aplicado em árvores de médio e grande porte nos estudos de ecofisiologia em diversos países. O FS no tecido vegetal é determinado pelo balanço de calor no ponto de medida na planta. O sistema realiza medidas a cada minuto e armazena a média em intervalos de 15 minutos no módulo interno de memória. A área experimental foi dividida em duas parcelas com 1 hectare cada. Sendo a Parcela A o controle e a parcela B submetida à exclusão de parte da chuva.
ABSTRACT

The Large Scale Biosphere Atmosphere Experiment in Amazônia (LBA) is a great effort research studying the relationships among climate, atmospheric gases and land use impacts in Amazonian. Two fieldwork sites were established in Pará State. The site used in this study its into the National Caxiuanã Forest (1o 42’ 30’’ S; 51o 31’45’’ W; 62 m asl.), around 400 km westward from Belém. As well as significant source of natural CO2 to the atmosphere, the rainforest is also an important carbon sink, through of the photosynthetic activity. The height of canopy is about 35m, and biomass above the ground 200m3 ha-1. The tree species predominant in the landscape are Eschweilera coriacea, Voucapoua americana e Protium pallidum. This study was carried out into the wet season (03-16 December 2000 and 12-25 January 2003) showing sap flow results and evapotranspiration to Eschweilera coriacea (Matá-matá). For the Sap Flow measurements was used the P4.1 (IEF/ Agricultural University of, Brno, Czech Republic). The experimental site was divided in two different areas with 1 ha each; Plot A (control) and Plot B (dried).


INTRODUÇÃO:

Dentro do Projeto LBA (Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia), na Floresta Nacional (FLONA) de Caxiuanã, Pará, está sendo desenvolvido o Projeto ESECAFLOR, um estudo das conseqüências provocadas no ecossistema por um período de exclusão da chuva. Seria como a simulação de um evento de El Niño, que provoca uma seca anômala em determinadas áreas na Amazônia (Ferreira da Costa et al., 2003a). As mudanças advindas de processo de estresse hídricos em florestas tropicais são desconhecidas. Muitas estimativas de evapotranspiração são realizadas para espécies vegetais de pomar (frutíferas) ou grãos com produção em grande escala. A evapotranspiração em espécies florestais é menos estudada, porém não menos importante. O objetivo aqui proposto é determinar a evapotranspiração de exemplares de grande porte (Eschweilera coriacea) em floresta tropical de terra-firme, pela utilização de medidas de fluxos de seiva. As florestas, principalmente as tropicais, passam por processos de ocupação e extrativismo em todo do mundo, entretanto, pouco se sabe sobre até quando estas áreas suportarão a ação indiscriminada do ser humano. Mudanças climáticas tais como prolongamentos das épocas secas em determinadas regiões e aquecimento global estão ligadas à qualidade e quantidade das florestas tropicais no planeta.


MATERIAIS E MÉTODOS:



PROJETO LBA:

O Experimento em Grande Escala da Biosfera – Atmosfera na Amazônia (http://lba.cptec.inpe.br/lba), tem como objetivo principal o entendimento das alterações nos ciclos da água, de carbono e nutrientes, e os balanços de energia solar, em função das modificações verificadas na cobertura vegetal da região. É um grande esforço de pesquisa dos relacionamentos entre o clima, o solo, os gases atmosféricos, e os impactos do uso da terra na Amazônia. Estuda os processos globais dos ciclos biogeoquímicos existentes entre a biosfera e atmosfera.


EXPERIMENTO ESECAFLOR:

O Experimento da Seca na Floresta (http://www.esecaflor.jpg.com.br), consiste na simulação de um período de estiagem na floresta tropical úmida, para avaliar o seu impacto nos fluxos de água e dióxido de carbono. Investigando a influência desta exclusão de água no solo sobre o ciclo da floresta, e as alterações provocadas pelo evento.



A estrutura física do ESECAFLOR é constituída por duas parcelas (A e B) de 1 hectare cada. Estas áreas são delimitadas por trincheiras cavadas com profundidades variando de 50 a 150cm. A parcela A é usada como referência para os experimentos realizados na parcela B, onde está sendo feita a exclusão de mais de 90% da água da chuva. Para isto utilizam-se cerca de 5000 painéis plásticos instalados a uma altura de 1,5 a 4 metros acima do solo. Figuras (a), (b), e (c).


a)


b)



  1   2   3   4   5   6   7


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal